Tabela de 7000 anos de raciocínio sobre a forma da Terra

A tabela a seguir apresenta um resumo do pensamento histórico sobre a forma da Terra nos últimos 7000+ anos. Sempre que possível, tentamos localizar e citar obras traduzidas originais, como:

  • De Caelo (Sobre os Céus), de Aristóteles, escrito em 350 aC.
  • De Rerum Natur â ( Sobre a Natureza das Coisas), de Lucrécio, escrito em 50 aC
  • Divinæ Institutions (Divine Institutes), de Lactantius, escrito aprox. 320 CE
  • Topografia Cristã , de Cosmas Indicopleustes, escrita aprox. 547 dC

NOTAS HISTÓRICAS SOBRE O FORMATO DA TERRA
(plana, esférica, cilíndrica, etc.)
Cerca de Discussão
5000 aC A Suméria (agora o sul do Iraque) foi uma das primeiras civilizações do mundo; pode ter sido realmente o primeiro. Durou por cerca de três milênios, até finalmente desmoronar sob os amorreus por volta de 2000 aC. Eles desenvolveram o conceito de um universo multi-camadas. “O limite entre o céu e a terra era um cofre sólido (talvez de estanho) e a terra era um disco plano .Dentro do cofre ficava o ‘lil’ ou atmosfera gasosa, as porções mais brilhantes formavam as estrelas, planetas, sol e lua. ” 1 ]  Variações dessa crença se espalharam pelo Oriente Médio e regiões do Mediterrâneo. Uma versão é vista nas Escrituras Hebraicas (Antigo Testamento). Na Mesopotâmia, a civilização suméria de 3500 aC, “O primeiro e mais simples instrumento astronômico, o gnomon , foi capaz de dar alguma indicação da hora do dia e da estação do ano;consistia de uma vara vertical reta e é baseado no mesmo princípio que o relógio de sol moderno”. 56 ]
4500 –
500 aC
Babilônios – “Segundo a cosmologia de Eridu , a água era a origem de todas as coisas; o mundo habitado brotou das profundezas e ainda é cercado por Khubur, a corrente do oceano. ”O sol sai de uma porta no leste todas as manhãs e sai por uma porta no oeste todas as noites. O mundo tinha a forma de uma montanha, o céu era uma abóbada sólida, “a base da qual repousava sobre um vasto oceano”, o fundo “que também sustentava a terra”. “Dentro da crosta terrestre está a morada da terra. morto, a entrada para a qual está no oeste. ” 15 ] Nota: Numerosos versos no Antigo Testamento detalham estas mesmas idéias. O livro de Dreyer fornece muitas referências bíblicas a isso na p.3.  Podemos agradecer aos babilônios pelo desenvolvimento dos primeiros estudos conhecidos em astrologia crédula (ugh!). De muitas maneiras, no entanto, os babilônios foram surpreendentemente avançados com seu trabalho em calendários e estudo dos planetas.Eles sabiam de pelo menos 5 planetas e com o Sol e a Lua derivaram nosso calendário de 7 dias.Os babilônios e mesopotâmios geralmente acreditavam na “teoria de que a Terra era um disco circular e plano cercado por um mar primordial”. 17 ]
2100 aC Abraão, andarilho hebreu – creditado como o pai de três religiões (ver ” Origens do cristianismo, islamismo e judaísmo “). Abraão levou sua tribo para fora de Ur e começou a visão monoteísta (deus único) da religião. O cristianismo e sua estrita interpretação literal da Bíblia, que é baseada na visão plana suméria / babilônica da terra, teria mais tarde um profundo impacto na ciência, geografia, astronomia, etc.
640-
545 aC
Thales de Mileto – Acreditava que a terra era plana 16 ] e era “um disco circular flutuando como um pedaço de madeira no oceano”. 15 ]   “A terra repousa sobre a água … no sentido de que repousa sobre a água, flutuando como um pedaço de madeira ou qualquer outra coisa desse tipo. ”(Aristóteles referindo-se a Thales)    47 ]
611-547
aC
Anaximandro de Mileto (Anaximandros) (aluno de Thales) – Acreditava que era plano ou convexo, na superfície, mas fez dele uma ” coluna de cilindro ou pedra “. Poemas homéricos apresentam uma imagem da Terra como “um disco circular plano cercado pelo poderoso rio Okeasnos”.   15 ] “Ele diz que a terra é cilíndrica em forma, e que sua profundidade é como uma terceira parte de sua largura .” Ps.-Plut. Strom. fr. 2 (RP 19)   43 ], [ 46 ] 
582-500
aC
Pitágoras – Notou que as altitudes das estrelas variavam em diferentes lugares da Terra e como os navios apareciam no horizonte. Quando um navio retornou ao porto, primeiro seus mastros, depois as velas e finalmente seu casco gradualmente apareceram. Aristóteles, que viveu 300 anos antes de Cristo, observou que a Terra lançou uma sombra redonda na lua. Quando uma luz é iluminada em uma esfera, ela lança a mesma sombra. Os gregos calcularam o tamanho geral e a forma da Terra. Eles também criaram o sistema de grade de latitude e longitude , de modo que, com apenas duas coordenadas, é possível localizar qualquer ponto na Terra. Os filósofos gregos também concluíram que a Terra só poderia ser uma esfera porque, na opinião deles, era a forma “mais perfeita”. Pitágoras introduziu o conceito de ‘antípodas ‘por ser o primeiro a alegar que as pessoas poderiam viver no lado oposto do mundo.  Pode ser grego para os pés, então Pitágoras cunhou o termo antípodas, ou seja, pés apontados em uma direção oposta. “A terra, que também é esférica e habitada por todos os lados, tem antípodas …” 15 ]
 (Veja discussão Antipodes no Capítulo 3 )
“A terra, depois da analogia da esfera do todo, é dividida em cinco zonas: ártica, antártica, verão, inverno e equinocial; a do meio que ele define como o centro da terra, por essa mesma razão. a zona tórrida [antipodal]; mas o habitado [aquele entre o ártico e a zona tórrida] sendo bem temperado. ”(Aet. iii. 2; 366.)   48 ]A reivindicação mais antiga da forma redonda da Terra é provavelmente de Pitágoras (500 aC) .Foi relatado que Pitágoras raciocinou, a partir da forma redonda perpétua dos eclipses lunares, que a Terra não podia ser plana nem cilíndrica, mas apenas esférica . 4 ] Pitágoras “Ensinou que a Terra era uma esfera no centro do Universo.” 9 ]
525-
? BCE
Anaximenes de Mileto (discípulo de Anaximandros) – “A terra e os corpos celestes são planos .” “Corpos celestes não se põem debaixo da terra…, mas sim em ângulo… de modo que muitos são obscurecidos pelas partes“ superiores ”da terra. para o norte (Aristot. Meteor. 354a 28). ”   25 ] 
“ O sol não está escondido por ir debaixo da terra, mas porque é coberto por algumas das partes mais altas da terra … ”    45 ]
497-
428 aC
Anaxágoras de Klazomenae – “A terra é plana em forma, e mantém seu lugar nos céus por causa de seu tamanho e porque não há vazio; e nesta conta o ar por sua força sustenta a terra, que cavalga no ar. E o mar surgiu da umidade da terra … ”Hipp. Phil 8; Dox 561.   44 ]
450-
420 aC
Leukippos (Leukippus) de Abdera – “A terra se assemelha a um tímpanon (pandeiro), isto é, éplana na superfície, mas provavelmente com uma borda ligeiramente elevada.”  15 ]
384-
322 aC
Aristóteles – Ele e os astrônomos gregos em geral sabiam que a Terra é redonda . Em sua física, Aristóteles dá dois ou três argumentos. Uma é da forma da sombra da terra na lua durante um eclipse da lua. Outra é do fenômeno bem conhecido do porto de partida de um navio – o navio logo se perde para ver, mas as velas do navio são visíveis por muito mais tempo. Finalmente, os gregos sabiam que as pessoas localizadas em um promontório alto poderiam ver muito mais longe para ver do que alguém baixo. Tudo isso Aristóteles considera como resolver empiricamente a forma da Terra. [Afirma claramente que há controvérsia sobre a forma da Terra.]   “Existem disputas semelhantes sobre a forma da Terra. Alguns pensam que é esférico, outros que é plana e em forma de tambor . Como prova, eles trazem o fato de que, à medida que o sol nasce e se põe, a parte oculta pela terra mostra uma borda reta e não curvada, ao passo que se a terra fosse esférica, a linha de corte teria que ser circular. Nisso, deixam de lado a grande distância do sol da Terra e o grande tamanho da circunferência, que, vistos à distância, parecem aparentemente pequenos. Tal aparência não deveria fazê-los duvidar da forma circular da terra. Mas eles têm outro argumento. Dizem que, porque está em repouso, a terra deve necessariamente ter essa forma. Pois existem muitas maneiras diferentes em que o movimento ou o resto da terra foi concebido. ”( De Caelo, Livro II, Parte 13, Para III)  7 ] 


” Anaximenes e Anaxágoras e Demócrito dão a planura da terra como a causa de sua permanência imóvel.” … “Este parece ser o caminho dos corpos de forma plana: pois até o vento dificilmente pode movê-los por causa de seu poder de resistência. A mesma imobilidade, eles dizem, é produzida pela planura da superfície que a terra apresenta ao ar que a sustenta. ”( De Caelo , Livro II, Parte 13, Para III)  7 ] Anaxágoras de Klazomenae disse que nosso mundo éplano “cilíndrico”, ou seja, em forma de moeda moderna. Demócrito concordou. “Mais uma vez, o que sustenta de um detém de todos, e a evidência de nossos olhos nos mostra que oa lua éesférica . Pois de que outra forma a lua, como ela aumenta e diminui, mostra, na maioria das vezes, uma figura em forma de crescente ou gibbosa, e apenas em um momento uma meia-lua? E argumentos astronômicos dão mais confirmação; pois nenhuma outra hipótese explica a forma crescente dos eclipses do sol. Um, então, dos corpos celestes sendo esféricos , claramente o resto será esférico também. ”( De Caelo , Livro II, Parte 11)  7 ] 

“Novamente, nossas observações das estrelas tornam evidente, não apenas que a Terra é circular, mas também que é um círculo sem grande tamanho. Por uma pequena mudança de posição para o sul ou para o norte provoca uma alteração manifesta do horizonte. Há muita mudança, quero dizer, nas estrelas que estão acima, e as estrelas vistas são diferentes, como se move para o norte ou para o sul. De fato, há algumas estrelas vistas no Egito e nas vizinhanças de Chipre, que não são vistas nas regiões do norte; e as estrelas, que no norte nunca estão além do alcance da observação, nessas regiões se elevam e se põem. Tudo o que vai mostrar não apenas que a terra é de forma circular, mas também que é uma esfera sem grande tamanho: caso contrário, o efeito de uma mudança tão leve de lugar não seria rapidamente aparente. ”( De CaeloLivro II, Parte 14) 7]

310-
230 aC
Aristarco – Conhecia a terra, a lua e o sol eram esféricos . Usou o eclipse lunar para estimar os tamanhos relativos da Terra e da Lua a partir da curvatura da lua e da curvatura da sombra da Terra na Lua. 56 ] 
276-
196 aC
Eratóstenes , nascido em 276, morreu aos 80 anos de idade, por volta de 196 aC Seu trabalho mais célebre foi um tratado sistemático sobre geografia, intitulado Geographika, em três livros. O primeiro livro, incluiu investigações sobre a forma e natureza da terra, que, segundo ele, era umglobo imóvel . Este importante trabalho de Eratóstenes constitui uma época na história da geografia antiga.  6 ] Eratóstenes calculou a circunferência da Terra em cerca de 40.000 km (25.000 milhas) – uma estimativa bastante precisa.  10 ]
165-
127 aC
Hiparco de Nicéia – Em seu trabalho Contra a Geografia de Eratóstenes, (150 aC), Hiparco ofereceu regras importantes sobre os métodos apropriados para usar no desenho de mapas do mundo (embora ele geralmente fosse contra fazê-lo). Ele forneceu novas maneiras de determinar a latitude e marcar as linhas climáticas que, se numeradas, forneceriam um conjunto de coordenadas para localizar todos os lugares da Terra! 60 ] A essa altura, a visão de uma Terraesférica avançou tanto que se assemelharia a nossa visão hoje.
99-55
aC
Lucrécio (Titus Lucretius Carus) – Oposto à terra esférica devido ao conceito antipodes .Em seu livro “Sobre a Natureza das Coisas” (50 aC), ele acredita que contar a história de antípodas é “Para dizer as descobertas escuras dos gregos … Eles alegam, com procedimento semelhante, que todas as coisas respiração tinha vagar para baixo sobre, e, no entanto, não podem cair da terra para os reinos do céu lá embaixo, não mais do que esses nossos corpos se afastarem espontaneamente para as abóbadas celestes acima … “É” Mas um erro vão deu esses sonhos aos tolos “. 29 ]   “Lucrécio nos assegura, a saber, que a terra não tem centro para o qual tudo se esforça, e que não há antípodas.” 30 ](Nota: Como resultado de suas crenças, nós preferimos chamá-lo de “lúdico”, ao invés de Lucrécio).
Vários 
Bíblicos
Referências bíblicas: Em Isaías [11:12], Ezequiel [7: 2] afirma que a Terra tem quatro cantos .Em Apocalipse [7: 1], quatro anjos estavam “de pé nos quatro cantos da terra”. Em Daniel [4: 10-11, 20], refere-se a ver até o fim da Terra; e então vendo todos os reinos do mundo emMateus [4: 8] e Lucas [4: 5] (implicando uma Terra plana , e não esférica). Apocalipse [1: 7]: “Eis que vem com as nuvens! Todo olho o verá … ”    Outros: Deut. 5: 8; 13: 7; 28:64; 33:17; I Samuel 2:10; Salmos 48:10; 61: 2; 65: 5; 88 (89): 11-12; 98: 3; 103: 3; 104: 2-3; 135;Provérbios 17:24; 30: 4; Isaías 5: 2; 11: 2; Jeremias 25:33; Jó 37: 3; Apocalipse 20: 8, Isaías 40:22; Jó 22:14; Amós 9: 6; Mateus 24:31Em resumo, a cosmologia da Bíblia baseia-se fortemente na cosmologia dos babilônios e sumérios.Isto é, é basicamente uma imagem de uma terra plana. (Como uma nota lateral, isso não reflete favoravelmente na Bíblia sendo a palavra de Deus. Por que Deus forneceria uma imagem confusa e muitas vezes errada da Terra e do universo? Por que seria uma visão sustentada por civilizações anteriores em vez de um correto?)

Para referências bíblicas adicionais e discussão sobre a crença na Terra plana, veja “ A Crença da Terra Plana dos Escritores da Bíblia ”, de Adrian Swindler em The Skeptical Review . 73 ]

23 a
79 EC
Plínio, o Velho (Gaius Plinius Secundus) – Em sua História Natural , ele afirma que todos concordam com a forma esférica da Terra. No entanto, não há acordo sobre os antípodas e há uma questão sobre como a água pode se manter em forma esférica. “Mas sua forma é o primeiro fato sobre o qual o julgamento dos homens concorda.  Sem dúvida falamos da esfera da Terrae admitimos que o globo está fechado entre os pólos. De fato, nem todas essas montanhas e vastas planícies formam o contorno de uma esfera perfeita, mas uma figura cujo circuito produziria uma esfera perfeita se as extremidades de todas as linhas fossem encerradas em uma circunferência ”( História Natural, LXIV). –115 ] )“Aqui há uma batalha poderosa entre o aprendizado de um lado e o rebanho comum do outro: a teoria é que os seres humanos estão distribuídos por toda a Terra e ficam com os pés apontando um para o outro, e que o topo do céu é para todos eles e para a terra pisada no centro da mesma forma, de qualquer direção, enquanto as pessoas comuns perguntam por que as pessoas do lado oposto não caem – como se não fosse razoável que as pessoas no outro lado me pergunto que não caímos. Existe uma teoria intermediária que é aceitável até mesmo para a multidão de ignorantes – que a Terra é da forma de um globo irregular, parecendo uma pinha, mas ainda assim é habitada em todos os lugares. ”( História Natural, LXV – 115]] )

Parece que havia alguma questão sobre como a água pode se manter em uma forma esférica e ele fornece argumentos a respeito de por que ela tende a um centro. “Mas o que a multidão mais debate é se deve acreditar que a conformação das águas também sobe em uma curva .{exemplos de como a água faz isso …} … segue-se, portanto, que toda a água de todas as direções converge para o centro, sendo esta pressão interna a causa de não cair. “( História Natural, LXV – 115 ] )

“Assim, há mares circundando o globo por todos os lados e dividindo-o em dois, roubando-nos metade do mundo, já que não há região que ofereça uma passagem de lá para cá ou daqui para lá. Essa reflexão serve para expor a vaidade dos mortais, e parece exigir que eu mostre aos olhos e exiba a extensão de toda essa região indefinida na qual os homens não encontram satisfação alguma. ”( História Natural, LXVII – 115 ] )


Nota lateral: Plínio, o Velho, morreu durante a erupção do Monte Vesúvio, na Itália, em 79 EC. Um relato detalhado de sua morte pode ser encontrado nos Vulcões da FM Bullard ( Austin. University of Texas Press, 1968, 441 pp.). Encontramos isso on-line no Centro de Informações sobre Vulcões da UC Santa Barbara em “Derivation of the name Plinian”.

90 a
168 dC
Ptolomeu, Cláudio – um geógrafo, matemático e astrônomo grego, compilou uma enciclopédia do mundo antigo a partir dos arquivos de uma lendária biblioteca em Alexandria, no Egito. Sua geografia de oito volumes incluía mapas extensos do mundo conhecido, todos baseados em umglobo curvo . A estrutura e o vocabulário de Ptolomeu ainda são usados ​​hoje: o sistema delatitude e longitude incluindo coordenadas para oito mil lugares em sua Geografia ! Um feito verdadeiramente incrível!  60 ] , 61 ]   De Almagesto de Ptolomeu , “Que a terra, também, tomada como um todo, é sensivelmente esféricaÉ melhor compreender as seguintes considerações: podemos ver, mais uma vez, que o sol, a lua e outras estrelas não se elevam e se põem simultaneamente para todos na Terra, mas antes para aqueles mais para o leste, mais tarde para aqueles em direção ao oeste. ”( Almagesto , seção i.4)  101 ]
160-
220 dC
Tertuliano – Escritor eclesiástico que nos fornece bons exemplos de anti-intelectualismo e o conflito que se desenvolve entre a Igreja Cristã e a ciência. Citações notáveis ​​incluem essa em que Tertuliano critica os filósofos gregos e a Academia de Atenas: “O que Atenas tem a ver com Jerusalém, a Academia com a Igreja? O que entre hereges e cristãos? … Não precisamos de curiosidade desde Jesus Cristo, nem de indagação desde o Evangelho ”.   Outra é o resultado da história de Thales que supostamente caiu em um poço observando as estrelas.Tertuliano disse: “Diga-me, qual é o sentido dessa coceira por especulação ociosa?O que isso prova, esse afeto inútil de uma curiosidade exigente, apesar da forte confiança de suas afirmações? É altamente apropriado que Thales, enquanto seus olhos estavam vagando pelos céus em observação astronômica, deveria ter caído em um poço. Este acidente pode bem servir para ilustrar o destino de todos que se ocupam com as tolices da filosofia. ” 56 ] , 57 ] , 58 ] , [59 ]


Tertuliano representa um elemento de oposição ao conhecimento “pagão” que certamente se manifestou na Igreja primitiva, mas foi uma visão que não prevaleceu. (Veja também a discussão sobre ” Escritores Influentes ou Frustrais? “, No Capítulo 3.) Ele é frequentemente mencionado nos debates sobre a terra plana por seus comentários anti-gregos, mas isso não significa que ele acreditasse que a Terra fosse plana. Não encontramos nenhum material dele mencionando uma terra plana.

245-
325 dC
Lactantius (nome completo: Lucius Caecilius Firmianus Lactantius) – ridicularizou a idéia de que as pessoas podiam andar com os pés acima de suas cabeças ou que a chuva e a neve poderiam cair para a terra. 1 ] Este argumento, baseado em fundamentos bíblicos, era que o mundo não era esférico, mas plano . Lactantius critica repetidamente os filósofos em seus escritos como tolos.“Como é com aqueles que imaginam que existem antípodas opostos aos nossos passos? Eles dizem alguma coisa para o propósito? Ou há alguém tão insensato a ponto de acreditar que há homens cujos passos são mais altos que suas cabeças? ou que as coisas que conosco estão em uma posição reclinada, com elas pendem em uma direção invertida? que as plantações e árvores crescem para baixo? que as chuvas, a neve e o granizo caem para a terra? … A origem desse erro também deve ser estabelecida por nós. Pois eles sempre são enganados da mesma maneira. … Que conseqüência última também seguiu, que não haveria nenhuma parte da terra desabitada por homens e os outros animais. Assim, a rotundidade da terra leva, além disso, à invenção daqueles antípodas suspensos. Mas se você perguntar àqueles que defendem essas maravilhosas ficções, por que todas as coisas não caem naquela parte inferior do céu, elas respondem que tal é a natureza das coisas,… eu não sei o que dizer respeitando aqueles que, quando eles já erraram, perseveram consistentemente em sua loucura, e defenda uma coisa vaidosa por outra; mas às vezes imagino que eles ou discutam filosofia em benefício de uma piada, ou propositalmente e conscientemente se comprometam a defender falsidades … ”(Lactantius, Instituições Divinas (302-323 dC), Livro III – “Da Falsa Sabedoria dos Filósofos”  37] )“ Sobre os antípodas também não se pode ouvir nem falar sem rir. É afirmado como algo sério, que devemos acreditar que há homens que têm os pés opostos aos nossos. Os delírios de Anaxágoras são mais toleráveis, os quais diziam que a neve era negra. ”( Lactantius, O Epítome dos Institutos Divinos, Capítulo XXXIX – De Vários Filósofos e dos Antípodas.)  38 ] )

“A grande maioria dos primeiros pais da Igreja, e especialmente Lactâncio, havia procurado esmagá-lo sob as declarações atribuídas a Isaías, Davi e São Paulo, a melhor opinião de Eudoxo e Aristóteles não poderia ser esquecida.” 14 ]


Lactantius era um defensor plano , puro e simples. No entanto, alguns argumentam que Lactantius não foi influente na visão de mundo medieval. Eles acreditam que e não deve ser apresentado como representante do pensamento posterior sobre a forma da terra. Eles apontam para o fato de que Lactantius raramente é referenciado em trabalhos posteriores, mostrando que sua influência era praticamente inexistente. Outros argumentam, (veja a discussão sobre “Escritores Influentes ou Frustrados ” no Capítulo 3), que isso é difícil de determinar. Em Lactantius’ caso, vamos encontrá-lo referenciado em St. Augustine ‘s De Doctrina Christiana . Agostinho parece estar olhando favoravelmente para Lactâncio , pelo menos em relação ao ouro egípcio. No deleDe Doctrina Christiana , (Sobre a Doutrina Cristã), Livro II, Capítulo 40, Agostinho discute como os egípcios estavam adorando ídolos e tinham “vasos e ornamentos de ouro e prata”. Ele diz que “devemos tomar e recorrer a um uso cristão”, “não fazendo isso por sua própria autoridade, mas pelo mandamento de Deus”. Referindo-se especificamente a Lactâncio, ele declara: “ E o que mais tem muitos bons e fiéis homens entre nossos irmãos? … Quanto Lactantius trouxe com ele? ”91 ]   Afirma-se que outros pontos de vista de Lactantius eventualmente levou à sua condenação póstuma como herege, mas de referência do influente St. Augustine a ele como entre os‘bons e fiéis homens’parece mostrar que ele ainda não foi considerado um herege por este tempo.

315-38
EC
São Cirilo de Jerusalém – Dizem que ele seguiu os ensinamentos de Basílio. Parece ter estado no acampamento plano .   Citações frequentemente da Bíblia e retrata a terra como um firmamento que flutua na água usando Gen. i. 6. Ele escreveu em suas Palestras Catequéticas: Aula IX : “ Aquele que criou o céu como uma cúpula, que, da natureza fluida das águas, formou a substância estável do céu. Porque Deus disse: Haja um firmamento no meio da água. Deus falou de uma vez por todas e permanece firme e não cai. O céu é água, e as órbitas, o sol, a lua e as estrelas são de fogo: e como as esferas de fogo seguem seu curso na água? Mas se alguém contesta isto por causa das naturezas opostas do fogo e da água, que ele se lembre do fogo que no tempo de Moisés no Egito ardia em meio ao granizo … ” 85 ]    Para uma biografia, veja 83


Alguns argumentam que ele não foi influente e nota que sua opinião não prevaleceu. (Veja também a discussão sobre “ Escritores Influentes ou Fringe ” no Capítulo 3.)

329-379
EC
São Basílio, Bispo de Cesaréia (São Basílio, o Grande) – Presume-se que possui profundo conhecimento em astronomia. Tentou incorporar o pensamento moderno em sua interpretação das Escrituras.  No entanto, parece que ele previu os problemas apresentados com a forma da Terra sendo uma esfera e sua contradição com as Escrituras. Para evitar tal confronto, ele assumiu a posição de que não precisamos saber disso e tal conhecimento era totalmente desnecessário. 32 ] “ Moisés fica em silêncioquanto às formas; ele não disse que a terra tem cento e oitenta mil estádios de circunferência; ele não mediu em que extensão de ar sua sombra se projeta enquanto o sol gira em torno dela, nem afirmou como essa sombra, lançando-se sobre a lua, produz eclipses. Ele passou em silêncio, tão inútil, tudo o que não é importante para nós . Devo então preferir sabedoria insensata aos oráculos do Espírito Santo? Não devo antes exaltar Aquele que, não desejando encher nossa mente com essas vaidades, regulou toda a economia das Escrituras em vista da edificação e da perfeição de nossas almas? ”(São Basílio, o Grande – Hexaemeron 9, HOMILIA IX ., A criação de animais terrestres.) 49 ]
329-
390 dC
São Gregório Nazianzen – Diz-se que opôs os antípodas por brancos, e mostrou que sair de Gibraltar era impossível. 3 ]   Sem uma citação direta de Nazianzen, é difícil saber se ele se opunha a uma terra esférica ou apenas antípodas habitadas .  {Ainda procurando boa referência sobre isso.}


** Incluído aqui apenas como referência a trabalhos citados nos debates da terra plana de autores contemporâneos. A oposição aos antípodas habitados NÃO significa necessariamente oposição a uma terra esférica ou prova o pensamento da Terra plana. (Veja discussão Antipodes no Capítulo 3)

344-408
CE
São João Crisóstomo (considerado um “doutor da Igreja”, bispo de Antioquia, arcebispo de Constantinopla em 398) – opunha – se à esfericidade da Terra baseada nas Escrituras .Regularmente se refere à Terra tendo quatro cantos como a Bíblia faz em seus sermões. Por exemplo, as seguintes citações vêm de Homilias contra os judeus : “todos os cantos da terra”, “sua ação é conhecido em todos os cantos da terra”, “todos os cantos da terra visto pelo sol” 27 ]   exerceu sua influência contra uma terra esférica. 2 ]   Ele é citado por Kosmas (Cosmas) como afirmando “Onde estão aqueles que dizem que o céu está em movimento?  Onde estão aqueles que pensam que é esférico? Pois ambas as opiniões estão aqui varridas. ” (Comentando Hebreus 8: 1.)Sabia que acabar verdadeiramente com o estudo“ herético ”dos gregos significava acabar com os escritos gregos – declarou alegremente:“ Todos os traços da antiga filosofia e literatura do mundo antigo desapareceu da face da terra. ” [ 79 ]Muito crítico do ensino grego porque entrava em conflito com as Escrituras e escritos da Igreja, inclusive os seus! Em sua “Homilia 2, Trinity, Sophists, Philosophers” , parágrafo 5, ele tem prazer no fato de que a Igreja está silenciando com sucesso os gregos – “E quanto aos escritos dos gregos, todos eles foram apagados e desaparecidos, mas o brilho deste homem é mais brilhante a cada dia. […] desde então as (doutrinas) de Pitágoras e de Platão , que pareciam prevalecer antes, deixaram de ser mencionadas, e a maioria dos homens não as conhece nem mesmo pelo nome. ”   77 ], [ 78 ]   Ele continua afirmando,“Pitágoras… praticou lá dez mil tipos de feitiçaria… mas por seus truques mágicos ele enganou os tolos. E deixar de ensinar aos homens qualquer coisa útil.”   Ele, então, chamar s Pitágoras um ‘bárbaro’! Crisóstomo é bastante animado às vezes enquanto continua batendo em Pitágoras, afirmando “E como, se você descobrir aqueles sepulcros que estão embranquecidos sem você, você os encontrará cheios de corrupção , fedor e ossos podres .”   Vamos parar por agora, mas tenha certeza de que há muito mais ataques gregos nas Homilias de Crisóstomo. Veja: 77 ], [ 78 ]


Chry Sostom era “definitivamente um fundamentalista forte, se não um literalista bíblico absoluto, e ele certamente parece ter acreditado que a Terra era plana. Como Tertuliano, ele era cético em relação a qualquer conhecimento “pagão” que parecia lançar dúvidas sobre qualquer aspecto da Bíblia. Sua oratória e teologia foram influentes. Sua crença em uma terra plana não era. ”  82 ]  Nota: Não compartilhamos dessa visão de que ele era influente na oratória e na teologia, mas não no terreno do plano. Apesar de suas visões planas da Terra não terem sido posteriores, é nossa opinião que ele provavelmente foi influente em todas as três áreas durante seu tempo. Porém, apresentamos ambos os lados do argumento para você tirar suas próprias conclusões. (Veja também a discussão sobre “ Escritores Influentes ou Fringe”?”No Capítulo 3.)

?? –
408 dC
Severiano, bispo de Gabala – Depende das Escrituras para ver a terra. “A terra é plana e o sol não passa debaixo dela à noite, mas viaja pelas partes do norte como se estivesse escondido por uma parede”  15 ].   Ele compartilhava o fundamentalismo e a oposição de João Crisóstomo à aprendizagem pagã. Sua visão da terra e sua forma plana parece indicar que essa oposição aos pagãos também se estende a uma certa ignorância dela também.


Alguns argumentam que ele não foi influente e nota que sua opinião não prevaleceu. (Veja também a discussão sobre “ Escritores Influentes ou Fringe ” no Capítulo 3.)

354-440
dC
Santo Agostinho – Por razões escriturais, Agostinho opunha-se aos antípodas habitados , não a uma terra esférica. Escreveu De Genesi ad Litteram (O significado literal de Gênesis).Como São Basílio, quando ele desviou questões da Terra como Dreyer 15 ] declara de Agostinho: “ A autoridade da Escritura é maior que a capacidade da mente humana.“. No entanto, ele também parecia preocupado que os cristãos seriam ridicularizados pelas crenças escriturísticas e os incitou a não discutir a terra ou os céus: “Muitas vezes um não-cristão sabe algo sobre a terra, os céus e as outras partes do mundo. , sobre os movimentos e órbitas das estrelas e até mesmo seus tamanhos e distâncias … e este conhecimento ele segura com certeza da razão e da experiência. É, portanto, ofensivo e vergonhoso para um incrédulo ouvir uma conversa cristã sem sentido sobre tais coisas, afirmando que o que ele está dizendo é baseado nas Escrituras.Devemos fazer tudo o que pudermos para evitar uma situação tão embaraçosa, para que o incrédulo não veja apenas ignorância no cristão e ria de desprezo. ”( De Genesi e litteram libri duodecim 50 ]Esta citação foi usada e abusada por muitos escritores que tentam provar todos os tipos de argumentos. É provável que tudo o que ele quis dizer com isso é que os cristãos não devem falar sobre tópicos científicos para os quais não têm instrução. Agostinho estava provavelmente preocupado com o fato de que os cristãos argumentam com os incrédulos e fazem declarações incorretas, dando aos incrédulos mais munição para serem usados ​​contra eles mesmos.“Embora ele parecesse inclinado a ceder um pouco em relação à esfericidade da Terra, ele lutou contra a idéia de que os homens existem do outro lado, dizendo que “ as Escrituras não falam de nenhum desses descendentes de Adão ”.  Ele insiste que os homens não poderiam permitir que o Todo-Poderoso vivesse ali, pois, se o fizessem, não poderiam ver Cristo em Sua segunda vinda descendo pelos ares. Mas seu apelo mais convincente, que encontramos ecoado de teólogo a teólogo durante mil anos depois, é o décimo nono Salmo e sua confirmação na Epístola aos Romanos; às palavras: “Sua linhagem se espalhou por toda a terra e suas palavras até o fim do mundo”. Ele habita com grande força no fato de que São Paulo baseou um de seus argumentos mais poderosos nesta declaração a respeito do pregadores do evangelho, e que ele declarou ainda mais explicitamente: “Em verdade, o seu som entrou em toda a terra, e as suas palavras até aos confins do mundo.” Daí em diante, nós achamos constantemente declarado que,nenhum antípodas pode existir ; e, portanto, os defensores dessa doutrina geográfica ‘dão a mentira direta ao rei Davi e a São Paulo e, portanto, ao Espírito Santo’. Assim, o grande Bispo de Hiponaensinou ao mundo inteiro por mais de mil anos que, como não havia pregação do evangelho no lado oposto da terra, não poderia haver seres humanos lá. ”   14 ]

“Há outra forma de tentação, ainda mais perigosa. Esta é a doença da curiosidade . (…) É isso que nos leva a tentar descobrir os segredos da natureza, os segredos que estão além do nosso entendimento , que não podem nos valer de nada e que os homens não desejam aprender … ” (Santo Agostinho de Hipona, dC 430 dC)

Santo Agostinho afirmou: “Quanto à fábula de que há antípodas , isto é, homens do lado oposto da terra, onde o sol nasce quando nos põe, homens que andam com os pés opostos aos nossos, não há Não há razão para acreditar. Aqueles que o afirmam não reivindicam possuir qualquer informação real; eles meramente conjeturam que,já que a terra está suspensa dentro da concavidade dos céus, e há tanto espaço em um lado dele quanto no outro, portanto a parte que está abaixo não pode ser desprovida de habitantes humanos. Eles não percebem que, mesmo se for acreditado ou demonstrado que o mundo é redondo ou esférico em sua forma, não se segue que a parte da Terra oposta a nós não esteja completamente coberta de água, ou que qualquer terra seca conjecturada lá deve ser habitado por homens. Pois a Escritura, que confirma a verdade de suas declarações históricas pela realização de suas profecias, não ensina falsidade; e é muito absurdo dizer que alguns homens poderiam ter navegado deste lado e, atravessando a imensa extensão do oceano, propagaram-se ali uma raça de seres humanos descendentes daquele primeiro homem. ”(De Civitate Dei, xvi, 9): 36 ]  


** Incluído aqui apenas como referência a trabalhos citados nos debates da terra plana de autores contemporâneos. A oposição aos antípodas habitados NÃO significa necessariamente oposição a uma terra esférica ou prova o pensamento da Terra plana. (Veja discussão Antipodes no Capítulo 3). No caso de Santo Agostinho, no entanto, parece claro que ele não era um defensor plano . Ele definitivamente se opunha aos antípodas habitados , mas dá outras indicações, como mostrado nas citações acima, de que ele acreditava que a Terra era esférica (ou pelo menos não estava em oposição a ela).Um bom exemplo dos erros na interpretação do significado de Antipodes por alguns autores modernos de trabalhos planos da terra é demonstrado na seguinte citação. Este autor corretamente afirma a visão de Agostinho sobre os Antípodas, mas depois prossegue elaborando com base em sua interpretação incorreta:

“St. Agostinho concluiu que, uma vez que a Bíblia não contém referências a pessoas que vivem do outro lado da terra, portanto, não havia outro lado. O mundo deve ser plano. ” 1 ]

Como já foi dito, opor-se à ideia de pessoas que vivem do outro lado do mundo NÃO é o mesmo que promover uma terra plana. Esses tipos de interpretações erradas causaram muita confusão no debate sobre a Terra plana. (Nós cometemos este erro inicialmente também!)

385-
420 dC
Orosius, Paulus – historiador e sacerdote espanhol que escreveu a famosa enciclopédia Historiae Adversum Paganoslibri septem ( 418 dC). Aceita uma tríplice divisão do mundo na Europa, Ásia e África – assim não há antípodas nem pessoas vivendo em qualquer lugar o outro lado da terra.  [64 ]


** Incluído aqui apenas como referência a trabalhos citados nos debates da terra plana de autores contemporâneos. A oposição aos antípodas habitados NÃO significa necessariamente oposição a uma terra esférica ou prova o pensamento da Terra plana. (Veja discussão Antipodes no Capítulo 3)

?? –
394 CE
Diodoro de Tarso (Diodore) – Em seu livro “Contra o Fatalismo”, ele critica os ateus que acreditam no sistema geocêntrico. Sua opinião era baseada em várias Escrituras da Bíblia e na crença comum de que o Céu era uma tenda ou abóbada sobre uma terra presumivelmente plana .No entanto, a opinião de Diodoro sobre o assunto é conhecida por nós apenas por uma crítica dele por Photius.   15 ]
410-439
EC
Martianus Capella – escreveu De Nuptiis Philologiae e Mercurii ( Casamento de Filologia e Mercúrio) que apresentou provas da terra esférica como parte do seu poema popular.  {Ainda não encontramos uma boa cotação deste material. O que encontramos é o conceito da esfera celeste apresentada, mas ao representar a esfera celestial, a Terra é mostrada como sendo também uma esfera no centro dos anéis.} 100 ]   (Referenciado em Os Princípios da Ciência Ocidental, deDavid Lindberg) : A Tradição Científica Européia no Contexto Filosófico, Religioso e Institucional, 600 aC a 1450. )
491-
518 CE
Padre Procópio de Gaza – Procópio acredita que, de acordo com um texto de Lucas, osantípodas são teologicamente impossíveis . “Se houver homens do outro lado da terra, Cristo deve ter ido lá e sofrido uma segunda vez para salvá-los; e, portanto, deve ter havido, como preliminares necessárias para sua vinda, uma duplicata de Adão, Éden, serpente e Dilúvio! ”. Vimos novamente como o“ plano de salvação ”cristão depende confessada e completamente de Adão, do jardim e do falando cobra! ”  33 ]


** Incluído aqui apenas como referência a trabalhos citados nos debates da terra plana de autores contemporâneos. A oposição aos antípodas habitados NÃO significa necessariamente oposição a uma terra esférica ou prova o pensamento da Terra plana. (Veja discussão Antipodes no Capítulo 3)

480 –
526 CE
Boethius, Ancius Manlius Severinus – Comentando sobre o amor da fama e da reputação emThe Consolation of Philosophy , Boethius fornece o seguinte para explicar como são triviais estes na grande escala do universo: “Como você aprendeu dos astrônomos mostrando, ocircunferência inteira da terraé apenas como um ponto comparado com o tamanho dos céus.Isto é, se você comparar a terra com o círculo do universo, ela deve ser considerada como sem tamanho algum. E desta pequena porção do universo há apenas uma quarta parte, como você aprendeu com a demonstração de Ptolemaeus, que é habitada por seres vivos conhecidos por nós.Se a partir desta quarta parte você imaginar subtraído tudo o que é coberto por mar e pântano, e todas as vastas regiões do deserto sede, você vai encontrar, mas o espaço estreito esquerda para a habitação humana.” ( Livro II, p.49)   111 ]    Desta citação, pode-se argumentar ambos os lados: disco esférico ou plano; pois ambos têm circunferência. Mas, então, ele se refere ao ‘ círculo do universoo que nos leva a acreditar que ele está falando de esferas em ambos os casos. Embora ele use o termo “círculo”, mesmo as visões mais primitivas do universo eram pelo menos que tinham a forma de uma esfera ou cúpula ao redor da Terra. Mas, mais tarde, no Livro IV, encontramos “Sim, asas arejadas são minhas para escalar as alturas do céu; quando estes a mente vestiu, rapidamente ela abomina e rejeita esta terra. Ela se eleva acima da esfera dessa vasta atmosfera ,… ”. ( Livro IV p.103)  111 ]   Isso, combinado com a citação anterior, pode ser argumentado como evidência de que tanto a Terra quanto o universo eram vistos como esferas. Finalmente, temos a seguinte citação que parece colocar a visão esférica fortemente em primeiro plano: “Homer, com seus lábios melosos, cantou a luz clara do sol brilhante; mas o sol não pode estourar com seus frágeis raios as entranhas da terra ou as profundezas do mar. Não é assim com o Criador desta grande esfera . Nenhuma massa de terra pode bloquear a sua visão quando Ele olha para todos. ” (Livro V, p.144) 111 ]
547 dC Cosmas Indicopleustes of Alexandria –  O monge egípcio preparou um “sistema completo e detalhado do universo” em um livro chamado “ Topographia Christiana (topografia cristã) ”.Baseado em Hebreus 9 e em outras passagens, 1 ele concluiu que “a terra é um paralelogramo,plano e rodeado por quatro mares. São quatrocentos dias de jornada longa e duzentos de largura.Nas bordas externas desses quatro mares surgem paredes maciças que se fecham em toda a estrutura e sustentam o firmamento ou a abóbada dos céus, cujas bordas são cimentadas nas paredes. Estas paredes envolvem a terra e todos os corpos celestes. Alguns autores contemporâneos afirmam: “Esta teoria durou cerca de 600 anos …” 1 , 2 ]  Não encontramos nenhum material plano para suportar esta conclusão.Cosmas afirma em seu livro que ele aprendeu seu sistema a partir do homem que mais tarde se tornou Bispo Católico de toda a Pérsia (chefe da Igreja Nestoriana).

A Topografia Cristã do Cosmos tinha a intenção de abordar a “onda de infidelidade que varre a terra” referente à planura da terra e disse que “pretendia denunciar a doutrina falsa e pagã da rotundidade da terra”. Vamos examinar a última afirmação : Dá a impressão de que o pensamento esférico era, de fato, amplamente aceito no tempo de Cosme. Caso contrário, por que ele teria se sentido compelido a se opor a essa “onda de infidelidade”? Uma onda não “varrendo o país” implica que muitas pessoas têm essa visão?

Outra citação de “ Topografia Cristã ”: “Embora a figura de um homem seja reta, de alguma forma acontece que aqueles quatro não estão em pé ao mesmo tempo; mas onde quer que você os vire, esses quatro nunca aparecem de uma só vez; então, como podemos estar entretendo essas hipóteses vazias e falsas? Então, como pode ser que a chuva caia sobre os quatro ao mesmo tempo? Então, por que você propõe em vão o que nem nossa natureza nem nossa mente podem aceitar? ” 13 ]

A Figura I em “ Topografia Cristã ” ilustra um mapa. Cosmas explica que a terra habitada por mortais é cercada pelo oceano. Em seu mapa, a terra habitada é mostrada como um retângulo, emoldurado por uma faixa retangular de mar. Quatro grandes golfos podem ser vistos abrindo-se para a terra habitada, cada um identificado por uma inscrição – o “Golfo cigano” (isto é, o Mediterrâneo), o “Golfo Árabe” (o Mar Vermelho), o “Golfo Pérsico” e o “Mar Cáspio.” Ao redor da faixa retangular de mar há outra banda representando “a terra além do oceano.É aqui no leste que o Paraíso Terrestre está localizado, reconhecível por suas árvores, que, segundo os primeiros escritores cristãos, davam frutos maduros constantemente em todas as épocas do ano.Do Paraíso Terrestre fluem seus quatro rios, que atravessam a “terra além do oceano”, então passam sob o oceano para sair novamente na terra habitada como o “Tigre”, o “Eufrates”, o “Phison” e o “Gehon”, ou Nilo.

Como Boorstin afirma em The Discoverers (1983), “Havia, é claro, apenas uma ‘face’ da terra – aquilo que Deus nos deu os descendentes de Adão – que fez qualquer sugestão de antípodas tanto abusiva quanto herética. O trabalho de Cosmas ainda vale muito a pena ser consultado como um tônico saudável para qualquer um que acredite que possa haver limites para a credulidade humana. ”  63 ]


Sobre a influência de Cosmas: Segundo Russell, o trabalho da Topologia Cristã de Cosmas Indicopleustes “foi amplamente ignorado na época e estudiosos cristãos como John Philoponus o ridicularizaram como o trabalho de um tolo ignorante” 63 ] (Nota: Nós procuramos por estes referências nas obras de Philoponus que ridicularizam as vistas planas da Cosmas, mas ainda não as encontraram.)

Alguns escritores consideram as referências à terra plana como metáforas da fala. Ou, eles afirmam que os defensores do plano com laços religiosos claros eram apenas tolos que ninguém ouvia, como Cosmas Indicopleustes e Lactantius. Russell e outros também admitem que Lactantius, um pai da Igreja, acreditava que a Terra era plana, mas afirmava que “ninguém prestou muita atenção a ele também”.

Alguns argumentam que Cosme e Lactâncio eram escritores marginais cujos trabalhos eram completamente desconhecidos ou altamente obscuros no Ocidente medieval. Então, como podem ser considerados como sendo representativos, e menos ainda influentes, do pensamento medieval sobre a forma da Terra? Bede, em contraste, foi um dos escritores mais influentes e amplamente divulgados do período medieval, e sua clara e bem demonstrada crença de que a Terra era esférica era bem conhecida. 82 ]


Veja Cosmas Indicopleustes e Lactantius: Influentes ou “Escritores Fringe”? no Capítulo 3.

560-
636 dC
São Isidoro de Sevilha (Isodurus Hispalenis, Bispo de Sevilha) – Isidore foi um enciclopedista altamente influente que foi amplamente copiado e citado ao longo da Idade Média. A opinião é dividida sobre como ele viu a forma da terra, especialmente à luz de sua etimologia em relação ao latim para “mundo” sendo derivado da palavra “roda”. A analogia da roda parece estar se referindo à zona temperada do norte – uma “fatia” em forma de disco do globo entre o ártico habitável e a zona equatorial (supostamente) habitável. Hrabanus Maurus (780-856 – Bispo de Mainz) também usou essa analogia da roda para a parte “habitável” do hemisfério norte, embora ele claramente visse a terra como um globo. Isidore não se opôs às terras antipodeanas e foi aindaaberto à possibilidade de que eles fossem habitados . A discussão de Isidoro está incluída aqui porque seus mapas simbólicos são frequentemente percebidos como prova do pensamento plano da Terra (veja Mapas Medievais: S simbólico ou Cartográfico? No Capítulo 3). Na verdade, o ateu ético inicialmente os viu dessa maneira.


Famosa por seus mapas planos em forma de “T”, também conhecidos como mapas de “roda” ou mapas “TO”. Esses mapas tinham uma forma redonda de O, com um canal em forma de T que dividia toda a terra habitável em três partes: Ásia, África e Europa. Em seu livro Etymologies (às vezes chamado de Origens ou Etymologiarum ), ele é criativo em lidar com temas perigosos, como a figura do mundo , ele não estabelece o próprio direito, mas cita ‘filósofos’ como ensinar isto ou aquilo, embora sem encontrar falhas neles ”.  15 ]

“O Etymologiarum consiste em 20 livros sobre 175 folhas, incluindo um mapa-múndi (mapa do mundo), e deveria ser uma enciclopédia que resumia o conhecimento acumulado no início do século VII na Europa.”… As fontes de Isidore eram principalmente o presbítero espanhol Orosius. e, secundariamente, Solinus, que é citado cerca de 200 vezes, e Pomponius Mela., bem como os ensinamentos dos Padres da Igreja. “…” Sobre a terra nos é dito que é nomeado a partir de sua redondeza (orbis), que é como uma roda; onde a roda pequena é chamada “orbiculus”. Pois o Oceano flui por todos os lados e rodeia seus limites. ”… “ Europa e África, ocupam metade do mundo e a Ásia ocupa sozinha a outra metade. oos antigos foram divididos em duas partes porque o Grande Mar (chamado Mediterrâneo) entra no Oceano entre eles e os separa. . . ”  39 ]

“ Admite a possível existência de terras antipodeanas : Além disso, além destas três partes do mundo, do outro lado do oceano, está uma quarta parte interior do sul , que nos é desconhecida por causa do calor do sol, dentro dos limites dos quais os antípodas são fabulosamente ditos habitar. Indica que ele mais da metade acreditava na esfericidade da terra e totalmente na doutrina dos antípodas. ” 39 ]

Mapas mostram sua crença nas Escrituras e seu desejo de representar suas lendas. Os mapas incluíam Jerusalém no centro baseada em Ezequiel V: 5: “Esta é Jerusalém: eu a coloquei no meio das nações e países que estão ao redor dela.” Alguns mapas traziam apenas os nomes bíblicos;outros tinham inscrições explicativas afirmando, por exemplo, que a Ásia recebeu o nome de uma rainha da Ásia, “da posteridade de Shem e é habitada por 27 povos; que a África é derivada de Afer, um descendente de Abraão, e tem 30 raças em 360 cidades ”; e que a Europa, nomeada da Europa da mitologia, “é habitada pelas 15 tribos dos filhos de Japhet e tem 120 cidades” [ 39 ] 

Recomende a visualização dos mapas do mundo de Isidore em “ Índice de imagens cartográficas que ilustram mapas do início do período medieval, 400-1300 AD ”


** Incluído aqui apenas como referência a trabalhos citados nos debates da terra plana de autores contemporâneos. Veja a discussão anterior sobre “ Mapas Medievais: Simbólicos ou Cartográficos”.

673-
735 dC
O Venerável Bede – um monge inglês, tirou sua cosmologia de Plínio. Seu De temporum rationemostra um conhecimento da latitude e do movimento anual do sol nos hemisférios norte e sul a partir da evidência de diferentes comprimentos de sombras. Em nossa opinião, Bede representa um importante ponto de virada . Ele não apenas escreveu sobre uma Terra esférica , mas o fez sem a abordagem cautelosa descrita acima. Isso parece indicar que uma visão esférica é amplamente aceita e que a Igreja não está preocupada com um conflito bíblico .Outro fato importante com Bede é que ele claramente tinha uma visão esférica, mas uma edição do século 12 de De natura rerum de Bede continha alguns dos bem conhecidos mapas TO. 113 Se esses mapas foram feitos para representar uma terra plana, como alguns afirmaram, por que eles teriam sido incluídos no De natura rerum de Bede, que claramente apoia uma visão esférica?Simplesmente não faria sentido. Embora isso não diga nada de Bede, dá crédito ao argumento de que os mapas TO NÃO são uma prova do pensamento plano da Terra . (Veja a discussão anterior sobre ” Mapas Medievais: Simbólicos ou Cartográficos “.)
?? –
755 dC
São Bonifácio – Há um debate considerável sobre o conflito entre São Bonifácio e Vergílio (veja abaixo). Alguns materiais, como The Catholic Encyclopedia, Volume XV (1912), afirmam claramente que  “St. Bonifácio acusou Vergílio de ensinar uma doutrina em relação à rotundidade da terra, que era “contrária às Escrituras” . 35 ] {ver também “St. Virgílio de Salzburgo (Vergílio), bispo ”discussão abaixo 33 ]  Outros no debate dizem que o conflito não foi a “rotundidade” da Terra, mas o velho debate sobre os habitantes dos Antípodas. Nós apresentamos aqui para que você possa fazer sua própria conclusão. No entanto, é revelador notar, como discutido abaixo, que Vergílio depois continuou sua ascensão à hierarquia católica, então ele deve ter defendido sua posição bem antes do Papa São Zacarias I.
745-784
dC
S. Virgílio de Salzburgo (Vergílio), bispo – Um dos povos mais instruídos do norte da Europa, mas seu intelectualismo pode ter trabalhado contra ele. “Sua doutrina de que a Terra é umaesfera foi derivado do ensino de geógrafos antigos, e sua crença na existência dos antípodas foi provavelmente influenciado pelas contas que os antigos voyagers irlandeses deram de suas viagens.” 35 ] “St. Bonifácio acusou Vergílio de ensinar uma doutrina em relação à rotundidade da terra, que era “contrária às Escrituras”.A decisão do Papa Zachary neste caso era que “se fosse provado que ele possuía a dita doutrina, fosse realizado um concílio, e Vergílio expulso da Igreja e privado de sua dignidade sacerdotal” (Jaffe, “Biblioth. Rerum germ.”, III 191). ” 35 ]   St. Virgil acreditava‘que sob a terra havia um outro mundo e outros homens, outro sol e da lua’(antípodas).O Papa São Zacarias I censurou Vergil por acreditar que existiam pessoas nas Antípodas, mas não tomou medidas drásticas. Em 767, Vergil foi nomeado bispo de Salzburgo.  Vale ressaltar que Virgílio foi nomeado bispo após a investigação da heresia. 34 ]    Nota: Alguns afirmam que o escritor Aethicus of Istria, autor de Cosmografia do Mundo (Cosmographia Aethici Istrii), era na verdade Virgílio de Salzburgo. 40 ] Aethicus escreveu que “a terra é naturalmente plana, o sol também (é falado como uma mesa, mensa solis ), e atravessa o portão do oriente todas as manhãs para iluminar o mundo, e passa em a noite pelo portão do oeste para retornar durante a noite ao seu ponto de partida pelo sul. ”  15 ]


Foi o conflito de Bonifácio / Vergílio sobre a ‘rotundidade da terra’ ou antípodas habitadas ? (Veja St. Boniface, acima.) Não sentimos que temos material original suficiente para fazer uma conclusão. Portanto, não incluímos seu conflito em nosso Resumo de Descobertas, no Capítulo 2 .Você pode fazer sua própria conclusão, mas em ambos os casos, parece óbvio que Vergilius estava desempenhando o papel de “bravo erudito defendendo a verdade do conhecimento antigo sendo acusado por um piedoso idiota diante do papa”. 82 ]


Em relação a Aethicus de Istria, nós também não sentimos que temos evidências suficientes para acreditar que este escritor era de fato St. Virgil. Isso seria crítico no debate sobre a terra plana, porque levaria a crença na terra plana de 547 CD (Cosmas) a 784 CE (St. Virgil). Qualquer ajuda para resolver isso seria muito apreciada.

1080-
1154 dC
Guilherme de Conches – um dos mestres mais famosos das escolas que floresceram no norte da França. Em seu Dragmaticon Philosophiae (Diálogo sobre Filosofia Natural), ele afirmou que não é tarefa da Bíblia nos ensinar sobre a natureza. [Capítulo neste trabalho intitulado “A Forma da Terra” (Livro VI, Capítulo 2).   103 ]   Revela que os intelectuais não apenas entendiam a Terra como esférica , mas também sentiam a necessidade de ter uma explicação pronta para aqueles que nunca tiveram a oportunidade de pensar nisso com muito cuidado. “William também escreveu comentários, que ele chamou de Glosae ( Glosses ), no Timeu de Platão , no livro de Boécio.Consolação da Filosofia , sobre o comentário de Macróbio sobre o sonho de Cipião , sobre as Instituições Priscianas grammaticae . Esses comentários, freqüentemente escritos apressadamente, refletem a vida cotidiana de uma escola com mais fidelidade do que tratados elaborados. Graças a estas Glosae, o leitor moderno é introduzido em uma escola medieval e introduzido aos métodos e ao espírito com o qual o ensino foi oferecido por mestres como William of Conches. ”   104 ]  Dragmaticon foi escrito como um diálogo entre um filósofo e um duque. Geoffrey le Bel de Anjou da Normandia. O seguinte é de Dragmaticon, pp. 121-222:

DUQUE.   Eu não me preocupo em refutar isso, mas tenho algumas dúvidas sobre a forma da terra. Por favor, por favor, explique seu ponto de vista. FILÓSOFO.   Algumas pessoas, como animais confiando em seus sentimentos à frente de sua razão, disseram que a Terra é plana: para onde quer que se movam, elas não sentem sua redondeza.Vou me preparar para destruir a opinião deles com prováveis ​​argumentos. Se a Terra fosse plana, a água da chuva caindo em sua superfície não se escoaria, mas se acumularia em um lugar para formar um lago.

Mais uma vez, se fosse plana, uma cidade situada no leste teria manhã e meio-dia ao mesmo tempo: pois, tão logo o sol havia nascido lá, ele estaria bem acima daquela cidade; mas uma cidade localizada no oeste teria meio dia e noite ao mesmo tempo. E quanto mais perto as cidades estivessem a leste, menor seria o espaço entre a manhã e o meio dia, o maior entre o meio-dia e a noite; mas quanto mais perto eles estavam do oeste, o contrário [isto é, maior seria o espaço, e assim por diante]. Para que você possa entender isso melhor eu esboçarei uma figura na qual traçarei uma linha para a terra plana e nas duas extremidades de duas cidades, e acima dela eu desenharei a curva do sol e acima de cada uma das cidades. duas cidades o sol nascente e poente, assim [fig.25].

Já que para todas as pessoas o intervalo de tempo da manhã até o meio dia e do meio-dia até o pôr do sol é igualmente longo, é claro que a Terra não é plana, mas redonda.Por essa razão, as pessoas do oriente sentem o nascer do sol, o meio-dia e o pôr do sol mais cedo do que as do oeste. Eu desenharei quatro cidades para você em um círculo: uma no oeste, a outra no leste, a terceira [no meio do caminho] entre o leste e o oeste acima da terra, o quarto oposto àquele abaixo da terra; Eu indicarei a cidade oriental com A, o meio-dia com B, a cidade ocidental com C e a meia-noite com D [fig. 26].

Quando o sol se eleva para a cidade em A, então se põe para o seu oposto C, é meio-dia para D e meia-noite para B. Quando o sol nasce em B, ele se põe em seu D oposto, é meio dia em A e meia-noite em C. Quando se eleva em C, se põe no seu oposto A, é meio-dia em B e meia-noite em D. Quando se eleva na cidade D, se põe na cidade B, C tem meio-dia e A meia-noite. Nem te surpreenderá se não houver cidades em todos os pontos [axiais] da Terra mencionados, mas certamente existem lugares em que o sol nasce e se põe. Assim, a cada hora o sol nasce por um quadrante da terra, se põe para outro, é ao meio-dia por um quadrante e à meia-noite por outro. Esta é uma prova para a redondeza da terra.

Há outra prova para o mesmo princípio, a saber, o fato de que as estrelas que aparecem em uma latitude [no clima uno] não aparecem em outra: a estrela de Canopus, visível no Egito, não é visível em nossa latitude. Isso nunca aconteceria se a Terra fosse plana.Portanto, a terra é redonda e esférica.

DUQUE. Quando na superfície da terra vemos quão profundos são alguns vales e vemos montanhas subindo acima das nuvens, como pode a terra ser redonda?

FILÓSOFO. Nossa pequenez faz com que as menores coisas pareçam grandes. Quão grande você acha que o Monte Olimpo é quando toda a Terra não tem dimensão alguma em comparação com o céu? Tome uma vala com um pé de profundidade, que você poderia atravessar com um passo: você não a consideraria nem um vale nem uma montanha. Mas deixe um piolho entrar: pensaria em um enorme vale cercado por imensas montanhas. Portanto, vales e montanhas não diminuem a redondeza da terra.


A interação acima parece ser reveladora. Neste ponto da história, ficamos surpresos ao encontrar esse diálogo no Dragmaticon de Guilherme de Conches . O Duque é realmente ingênuo ou ele simplesmente está sendo usado como personagem para o diálogo? Nós não lemos o livro completo, então é difícil julgar o contexto e as intenções de William. Como mencionado acima, parece que ele sentiu a necessidade de ter uma explicação pronta para perguntas como o Duque apresentou (ou pelo menos para documentar uma explicação para colegas e outros que enfrentam essas questões). Ele parece indicativo de alguns pensadores Terra plana residuais. Como William era professor, talvez esse pensamento ainda fosse mantido por alguns jovens ou sem instrução.Nós não incluímos isso em nosso Resumo de Descobertas ouConclusões porque requer alguma especulação para se chegar a uma crença do pensamento da Terra plana. Sem ler o trabalho completo, pode-se argumentar que é simplesmente um diálogo para demonstrar lógica e debate.

Século11 Astrolabes: O uso e construção de Astrolabes implica uma compreensão da terra esférica . “O astrolábio é um computador astronômico muito antigo para resolver problemas relacionados ao tempo e à posição do Sol e das estrelas no céu. … A história do astrolábio começa há mais de dois mil anos. Os princípios da projeção astrolábica eram conhecidos antes de 150 aC, e astrolábios verdadeiros foram feitos antes de 400 dC. O astrolábio era altamente desenvolvido no mundo islâmico em 800 e foi introduzido na Europa da Espanha islâmica (Andaluzia) no início do século XII. “O Astrolábio na Europa: O astrolábio moveu-se com o Islã através do norte da África para a Espanha (Andaluzia), onde foi introduzido na cultura européia através de mosteiros cristãos no norte da Espanha. É provável que a informação sobre o astrolábio estivesse disponível na Europa já no século XI, mas o uso europeu não foi difundido até os séculos XIII e XIV. ” 102 ]
1120 dC Honorius Augustodunensis – escreveu seu Elucidarius onde ele desenha analogias entre aspectos da cosmologia e do corpo humano e afirma que a cabeça humana é redonda em reflexão da redondeza da terra . E esse não era um tratado acadêmico obscuro – era um manual para a instrução do clero de ordem inferior. Então, já no século XII, temos evidências de que as pessoas que estavam ensinando os camponeses tinham uma compreensão clara de que a Terra era um globo.  {Nota: Ainda não obtivemos uma boa cotação de apoio original para isso.}
1195-1256
CE
Johannes de Sacrobosco (também conhecido como John de Holywood) – um monge de origem inglesa. Autor de um punhado de textos medievais amplamente lidos sobre matemática e astronomia. Seu livro-texto astronômico “ De Sphaera ” (A esfera) foi usado em muitas universidades por vários séculos. Ele descreve a terra é uma esfera como segue. O texto original, provavelmente escrito por volta de 1231, foi copiado a mão por mais de dois séculos por uma sucessão de escribas, e a primeira edição impressa apareceu em 1471.“A TERRA UMA ESFERA. – Que a terra também é redonda é mostrada assim. Os sinais e as estrelas não se elevam e estabelecem o mesmo para todos os homens em todos os lugares, mas se elevam e se estabelecem mais cedo para os do leste do que para os do ocidente; e disto não há outra causa além da protuberância da terra. Além disso, os fenômenos celestes evidenciam que eles se elevam mais cedo para os orientais do que para os ocidentais. Por um e o mesmo eclipse da lua que aparece para nós na primeira hora da noite aparece aos orientais sobre a terceira hora da noite, o que prova que eles tiveram noite e pôr-do-sol antes de nós, de qual colocação a protuberância do a terra é a causa ”.“SUPERFÍCIE DO MAR ESFÉRICO. – Que a água tem uma protuberância e é aproximadamente redonda é mostrada assim: Deixe um sinal ser estabelecido na costa e um navio deixam o porto e partem tão longe que o olho de uma pessoa parada ao pé do mastro não pode mais discernir o sinal. No entanto, se o navio for parado, o olho da mesma pessoa, se ele subiu até o topo do mastro, verá claramente o sinal. No entanto, o olho de uma pessoa na parte inferior do mastro deve ver o sinal melhor do que aquele que está no topo, como é mostrado ao desenhar linhas retas de ambos para o sinal. E não há outra explicação para isso do que a protuberância da água. ”   87 ]

No parágrafo intitulado “MEDINDO A CIRCUNFERÊNCIA DA TERRA”, ele faz referência às obras dos filósofos Ambrósio, Teodósio e Eratóstenes na medição da circunferência.

” De Sphaera ” (The Sphere) tornou-se o livro padrão em astronomia até meados do século XV. (Nota lateral: Enquanto ele pode ter sido correto sobre uma terra esférica, nos próximos parágrafos ele prossegue argumentando que a Terra é o centro do universo e é imóvel).  

Século13 Em meados do século XIII, o norueguês Koenigsspiegel usa a analogia da terra como uma maçã e o sol como uma vela para explicar a noite e o dia.
IMPORTANTE: Além deste ponto, as referências de terra esféricas são tão comuns que quase não vale a pena prosseguir. As referências restantes servem apenas para esclarecer a confusão sobre alguns argumentos nos debates da Terra plana. Além disso, algumas simples curiosidades são apresentadas, embora não propomos, de maneira alguma, que elas apóiem ​​a crença verdadeira da Terra plana. A visão esférica comum édescrita por um leitor . Ainda não verificamos todas essas referências, mas temos boas razões para confiar na fonte.


Há muito simbolismo nos globos e orbes representando o poder terrestre dos reis. Chaucer assumindo que seu filho de nove anos Lewis entende que a Terra é redonda em seu Treatise on the Astrolabe . Reis medievais seguravam cetros (representações da maça, o poder de ferir e tratar a justiça) e o orbe (representante da terra e seu domínio sobre ela). Se eles tivessem uma visão plana da Terra neste ponto, eles poderiam estar segurando uma espátula em vez de uma esfera. Viajantes medievais que cruzaram o equador são os seguintes.  O condado de Pordenone viajou pelo mar através da índia e do Ceilão e depois através de Sumatra, Java e Bornéu, antes de 1320.  Polo viajou da China via Java e Sumatra até o Ceilão em 1290 (ou 1292).  John de Marignolli partiu da China para o sul da Índia e parece ter percebido que cruzou o equador em um ponto dessa jornada – ele é um dos vários viajantes medievais, incluindo Polo, John de Monte Corvino e Jordan de Severac, que observou que a Estrela Polar era pouco visível ou completamente invisível acima do horizonte durante suas viagens. Um mapa genovês de 1457 leva em conta informações sobre a Índia, Java, Sumatra e as Molucas retiradas das viagens de Nicolo Conti , que também viajou para a Birmânia e a Malásia entre 1419 e 1444. Os portuguesesparecem ter avistado a costa norte da Austrália já em 1520.

A idéia de uma zona equatorial transitável tornou-se bem conhecida na Europa no século XIV, como pode ser visto por uma longa e muito interessante seção na popular obra inglesa inglesa The Travels of Sir John Mandeville . Esta é uma mistura de ficção, verdade e curiosidades e não havia quase certamente não real John Mandeville que empreendeu essas viagens, mas no capítulo 20 que diz da ilha de ‘Lamory’ (Sumatra) e, em seguida, entra em um longo discurso sobre como o a terra é redonda e como a Estrela Polar não pode mais ser vista quando o equador é passado:

E você deve entender que nesta terra e em muitos outros por ali, a estrela Polus Arcticus não pode ser vista; fica sempre no norte e nunca se move, e por isso os marinheiros são guiados. Não é visto no sul.

O trabalho então dá uma série de leituras de astrolábio para a Estrela Polar de várias latitudes e explica que há um equivalente sul da Estrela Polar que é usada por navegadores ao sul do equador. Ele continua descrevendo como a Terra pode ser circunavegada:

Então, eu digo realmente que um homem poderia ir ao redor do mundo, acima e abaixo, e retornar ao seu próprio país, desde que ele tivesse sua saúde, boa companhia e um navio, como eu disse acima.

Ele continua contando uma (quase certamente fictícia) história de um jovem inglês que realmente viajou pelo mundo todo:

Ele passou pela Índia e muitas ilhas além da Índia, onde existem mais de 5.000 ilhas, e viajou tão longe por terra e mar, cercando o globo, até chegar a uma terra onde ouviu sua própria língua ser falada.

O autor, então, conjectura que isso foi porque ele havia realmente alcançado seu próprio país novamente circunavegando a terra. Ele prossegue explicando que, enquanto as pessoas nos antípodas parecem, para aqueles “de compreensão limitada”, estarem “abaixo” de nós, parece que os antípodas estão “abaixo” deles. Ele termina com uma conta da circunferência da terra, que ele dá como 20,425 milhas. E isso foi em um trabalho popular e vernacular escrito em grande parte para entretenimento por volta de 1356.


Em Dante ‘s Divina Comédia 98 ] , ele assume sua audiência início do século XIV entende que a Terra é redonda. In Inferno , Canto XXVI, onde Ulisses discute sua viagem ao Hemisfério Sul (em direção ao “outro pólo”). “Já todas as estrelas do outro pólo. A noite viu e a nossa tão baixa.   [96 ] A geografia de Dante coloca o Monte Purgatório nos antípodas de Jerusalém. As notas da excelente tradução de Robert Pinsky fazem um bom trabalho ao descrever e explicar todas as várias referências.

“Correr melhores águas iça sua vela; O pequeno vaso do meu gênio agora, Que deixa para trás um mar tão cruel ”(Purgatório, Canto I),“ Já o sol alcançou o horizonte; Cujo círculo de meridianos cobre tudo; Jerusalém com seu ponto mais elevado … ”( Purgatório , Canto I, 97 ] )

” Em ​​exitu Israel de Aegypto! ‘ Eles cantaram todos juntos em uma só voz, Com o que naquele salmo é depois escrito. Então ele fez sinal de sangue santo sobre eles, onde todos se lançaram na praia, e ele partiu rapidamente como ele veio. A multidão que ainda permanecia lá desconhecida.Parecia com o lugar, ao redor deles olhando, Como alguém que em matéria nova faz ensaio. De todos os lados, estava avançando o dia. O sol, que tinha com suas flechas resplandecentes. Do meio do céu perseguido o Capricórnio, Quando as novas pessoas levantaram seus rostos. Rumo a nós, dizendo-nos: ‘Se sabeis, mostra-nos o caminho para o monte.’ E a resposta fez Virgílio: ‘Acredita que talvez tenhamos conhecimento deste lugar, mas somos estranhos como vós mesmos.Apenas agora chegamos, um pouco antes de você, Outro jeito, que era tão áspero e íngreme, Essa montagem, a partir de agora, nos parecerá esportiva. As almas que, ao me verem, respiravam, Percebam que eu ainda estava vivo, Pálido em seu espanto se tornou. ”(Purgatório , Canto II,  [97 ] )


Também é dito que Byrthferth de Ramsey estava ensinando aos monges jovens o computus e que a Terra era redonda no início do século XI (seu Enchiridion estava sendo escrito em 1011). A passagem que lida com isso é de De Temporibus Anni da AElfric (na verdade, um trabalho de inglês antigo), escrito por volta de 993 e, em grande parte, baseado em Bede como sua fonte.Aqui está a passagem relevante de AElfric  82 ] : De Temporibus Anni , de 1921, da AElfric :

“O que você precisa fazer é subir e descer, 7 eal swa leohte scinth under the Eternhan on nihtlicere tide, swa swa heo on daeg deth bufon urum heafdum. Sobre a cura, o heo scinth tem mais de sete anos, sobre a saúde do coração, que é o mesmo. AErei em sumere sidan thaere eorthan daeg, 7 aefre on sumere sidan niht. ”

De Byrthferth Enchiridon, ii.3, 143-148:

“O sol está sempre girando em torno desta terra, e brilha tanto sob a terra à meia-noite quanto acima da terra ao meio-dia. Na metade [ver abaixo], onde está brilhando, há dia, e na metade, onde não está brilhando, há noite. É sempre dia de um lado da terra e da noite do outro lado ”. (Isso faz parte de uma seção maior sobre as divisões da noite que Byththferth adaptou de AElfric, mas complementou diretamente de Bede.)

De Byrthferth Enchiridon , II.1, 253-255 ,:

“O céu encerra toda a terra em seu seio e está sempre girando acima de nós; é mais veloz que qualquer roda de moinho, tão profunda sob esta terra quanto acima. É inteiramente esférico e todo e adornado com estrelas. ”  (Novamente, embora isso não indique explicitamente que a Terra é esférica, a passagem só faz sentido se for.)

(Veja também outras fontes computacionais, como Hrabanus Maurus ou Helperic . Outros autores do século XIII amplamente lidos que discutiram o modelo da Terra Redonda foramMacrobius e Albertus Magnus . 82 ] )

1259-1310
dC
Pedro de Abano – Em outro exemplo de ‘escrita criativa’, alguns autores dizem que Pedro de Abano ‘reviveu’ teorias anteriores de uma terra redonda .  1 ]  No entanto, parece claro que a crença na terra esférica era comum nesta época, por isso recomendamos que os leitores avaliem cuidadosamente quaisquer alegações de que Peter estava “revivendo” essas teorias. Ele foiatacado pela Inquisição de praticar Artes Negras (embora essas razões não tivessem nada a ver com uma Terra redonda ). Apenas para entretenimento do leitor: Enviado para a prisão onde morreu na véspera de sua execução por heresia. No entanto, para não fugir, “ seus ossos foram queimados por sua heresia ” pela Igreja!  80 ]
1269-1327
CE
Cecco d’Ascoli (aka Francesco degli Stabili) – astrólogo italiano. Também reivindicado por alguns autores para ter “revivido” teorias anteriores de uma terra redonda . 1 ]   No entanto, como mencionado em Pedro de Abano, o pensamento esférico era comum.   É lamentável que d’Ascoli tenha sido queimado na fogueira por algumas de suas crenças, embora as razões para suamorte não tenham nada a ver com suas discussões sobre a Terra sendo redonda . Dizem que seu fim abrupto foi por acusar o grande poeta e erudito Dante de heresia enquanto defendia a astrologia contra os ataques do poeta na Divina Comédia.
1300s CE Russell afirma que havia alguma crença no disco-terra na França, antes de 1300, parece permitir que “pessoas simples” acreditem que alguém cairia da terra nos antípodas. 5 ] {Nota: Ainda não investigamos suas referências sobre isso.} 
1400-1455
CE
Tostatus – teólogo espanhol, relatou ter oposto antípodas e “mesmo tão tarde quanto a idade de Colombo, sentiu-se chamado a protestar contra ele como” inseguro “. Ele havia moldado a velha mensagem de Santo Agostinho no seguinte silogismo: “Foi ordenado aos apóstolos que fossem a todo o mundo e pregassem o evangelho a toda criatura; eles não foram para nenhuma parte do mundo como os antípodas; eles não pregaram para qualquer criatura lá: ergo, não existem antípodas. ”  14 ]


** Incluído aqui apenas como referência a trabalhos citados nos debates da terra plana de autores contemporâneos. A oposição aos antípodas habitados NÃO significa necessariamente oposição a uma terra esférica ou prova o pensamento da Terra plana. (Veja discussão Antipodes no Capítulo 3)

1480-1521
CE
Fernão de Magalhães – explorador português cuja viagem ao redor do mundo em 1519 forneceu provas firmes de um mundo em volta . É alegado por White que alguns “líderes religiosos não o aceitaram por mais dois séculos”. 1 ]   {Nós olhamos e não encontramos nenhuma citação original para apoiar esta afirmação.}  Há uma citação freqüentemente atribuída a Magalhães ( embora não tenhamos encontrado nenhuma de suas obras para contê-lo) : “A igreja diz que a terra é plana, mas sei que é redonda, pois vi a sombra na lua e tenho mais fé em uma sombra do que na igreja. ”Qualquer ajuda em encontrar a verdadeira fonte desta citação seria muito apreciada.
1543 dC Copérnico, Nicolau – Embora se soubesse, a esta altura, que a Terra era uma esfera , Copérnico insulta a questão em seu livro De Revolutionibus Orbium Coelestium (Sobre as revoluções das esferas celestes). Ele enviou este livro ao Papa Paulo III com uma carta introdutória intitulada “À SUA SANTIDADE, PAPA PAULO III”. Isso é muito curioso …

Por que Copérnico sente que precisa documentar a prova de que a Terra é uma esfera?   Por que ele se sente compelido a afirmar que a forma da terra não deve ser como aquela proposta por Leucipo, Heráclito, Demócrito, Anaximandro e Xenófanes? Por que ele se sente compelido a enviar isso ao papa? Será que declarar o óbvio e enviá-lo à Igreja implica que NÃO foi, de fato, óbvio? Usando a razão, parece sugerir que, mesmo em 1543, uma Terra esférica pode não ter sido uma crença universalmente aceita … por mais absurdo que isso pareça. {NÃO estamos promovendo essa ideia. É apenas curioso.} Uma resposta possível para as perguntas acima foi fornecida pelo leitor:
Porque naquela época era uma convenção acadêmica padrão que você definisse e, quando necessário, comprovasse todas as hipóteses ou argumentos predicativos relevantes para sua tese, mesmo que fossem bem compreendidos e universalmente aceitos. Ele se sentiu compelido a enviar isso ao papa porque sabia que a outra parte de suas teorias seria altamente controversa. A ideia da terra redonda não era.  82 ] 


Porções relevantes de De Revolutionibus Orbium Coelestium (Sobre as Revoluções das Esferas Celestes) discutindo uma terra esférica:  41 ] 

Capítulo 2 – A TERRA TAMBÉM É ESFÉRICA
“ A terra também é esférica, uma vez que pressiona seu centro de todas as direções. No entanto, não é imediatamente reconhecido como uma esfera perfeita, devido à grande altura das montanhas e à profundidade dos vales. Eles dificilmente alteram a esfericidade geral da Terra, no entanto, como fica claro nas considerações a seguir. Para um viajante indo de qualquer lugar para o norte, aquele pólo da rotação diária gradualmente sobe mais alto, enquanto o pólo oposto desce uma quantidade igual. Mais estrelas no norte são vistas como não estabelecidas, enquanto no sul certas estrelas não são mais vistas. Assim, a Itália não vê Canopus, que é visível no Egito; e a Itália vê a última estrela do rio, que não é familiar para nossa área na região mais fria. Tais estrelas, inversamente, se movem mais alto no céu para um viajante em direção ao sul, enquanto aqueles que estão no alto do nosso céu afundam. Além disso, as elevações dos pólos têm a mesma proporção em todos os lugares para as partes da Terra que foram atravessadas. Isso não acontece em nenhuma outra figura que a esfera. Daí a terra também é evidentemente encerrada entre os pólos e, portanto, é esférica. Além disso, os eclipses noturnos do sol e da lua não são vistos pelos orientais, nem os eclipses matinais pelos ocidentais, enquanto os que ocorrem entre os dois são vistos mais tarde pelos orientais, mas antes pelos ocidentais ”.“As águas pressionam para baixo na mesma figura também, como os marinheiros estão cientes, uma vez que a terra que não é vista de um navio é visível a partir do topo de seu mastro. Por outro lado, se uma luz é presa ao topo do mastro, quando o navio se afasta da terra, aqueles que permanecem em terra vêem a luz descer gradualmente até que finalmente desapareça, como se estivesse se pondo. A água, além do mais, sendo fluida por natureza, evidentemente sempre busca os mesmos níveis mais baixos que a Terra e se eleva da costa não mais do que o permitido pela elevação. Portanto, qualquer que seja a terra que emerge do oceano, é reconhecidamente muito maior. “

Capítulo 3 – COMO A TERRA FORMA UMA ÚNICA ESFERA COM ÁGUA
“Discutindo todas as novas terras que foram encontradas, ele se refere ao tamanho da América,“… América, nomeada em homenagem ao capitão do navio que a encontrou. Por conta de seu tamanho ainda não divulgado, acredita-se que seja um segundo grupo de países habitados. Há também muitas outras ilhas, até então desconhecidas.  Tão pouca razão devemos nos maravilhar com a existência de antípodas ou antichthones. De fato, o raciocínio geométrico sobre a localização da América nos leva a acreditar que ela é diametralmente oposta ao distrito de Ganges, na Índia. “… Mais tarde, ele conclui que a Terra deve ser uma esfera, não formas propostas em tempos anteriores:” A terra, juntamente com suas águas circunvizinhas, deve de fato ter a forma que sua sombra revela, pois eclipsa a lua com o arco. de um círculo perfeito.  Portanto, a terra não é fla t, como Empédocles e Anaximenes pensavam; nem em forma de tambor, como Leukippus; nem em forma de tigela, como Heráclito;nem oco de outra maneira, como Demócrito; nem novamente cilíndrico, como Anaximandro; nem o seu lado inferior se estende infinitamente para baixo, a espessura diminui em direção ao fundo, como Xenófanes ensinou; mas é perfeitamente redondo, como os filósofos afirmam. ” 41 ] É interessante que Copérnico tenha mantido a publicação por quase 20 anos (até sua morte) deDe Revolutionibus Orbium Coelestium.   Alguns especularam que ele acreditava que isso causaria conflito com a Igreja. Também é interessante que Andreas Osiander, um importante teólogo protestante, tenha manipulado a publicação e inserido anonimamente seu prefácio para parecer que foi escrito por Copérnico. O prefácio de Osiander afirmava que o conteúdo do livro deveria ser tratado como hipotético e não destinado a representar a realidade! Ele escreveu: “Pois estas hipóteses não precisam ser verdadeiras nem mesmo prováveis. … No que diz respeito às hipóteses, ninguém espere nada de certo da astronomia, que não possa fornecê-la… ”  41 ]  Este prefácio acabou se tornando a posição oficial da Igreja Católica Romana!   56 ]   Note que este prefácio de teorias hipotéticas foi provavelmente destinado aos aspectos controversos em relação à astronomia, não à forma da Terra.
1561-1626
CE
Francis Bacon – escreveu o Novum Organum em 1620, critica os Padres da Igreja : “89.Tampouco alguns dos antigos pais do cristianismo trataram muito melhor os que mostraram, pelas provas mais positivas (como ninguém agora contesta) que a Terra é esférica e, portanto, afirmaram que havia antípodas . ” 51 ]
1783-1859
CE
Washington Irving – Irving foi um escritor de ficção satírica. Seu livro A Vida e as Viagens de Cristóvão Colombo (1828) é frequentemente apontado como um dos primeiros promotores do mito da terra plana. Nele, Irving retrata Colombo em pé diante do Conselho de Salamanca, que acreditava que a Terra era plana.  112 ]   (Veja a discussão sobre Irving no Capítulo 4 – Mito Terra Plana Inventado por Escritores Seculares?Seu embelezamento e alongamento dos fatos foram provavelmente intencionais. Ele obviamente queria vender livros e, portanto, queria contar uma “boa história”. Ele estava envolvido em uma fraude para fazer a Igreja parecer ruim? Nós não pensamos assim, mas vamos deixar você tirar suas próprias conclusões. Nós não tivemos tempo para pesquisar suas fontes. Poderia ser apenas um jab na Europa, não o cristianismo? Houve constantes cutucadas durante este período entre os ‘Impérios do Mal’ da Europa e as ‘Lowly British Colonies’ da América.
1848 CE Samuel Birley Rowbotham – Leia um artigo antes da Royal Astronomical Society na noite de 8 de dezembro de 1848, que apresentou uma “descrição de vários experimentos que provam que a superfície do mar é um plano perfeito, e que a Terra não é um globo. . ” 22 ]  Samuel Birley Rowbotham, fundador do moderno movimento da Terra plana, citou 76 passagens no último capítulo de sua monumental segunda edição da Earth not a Globe. O apóstolo Anton Darms , assistente do reverendo Wilbur Glenn Voliva , o mais conhecido dos planadores americanos, compilou 50 perguntas sobre a criação e a forma da Terra, reforçando suas respostas com até 20 escrituras cada. 23 ] “Do exposto, não é de surpreender que o terrenos planos tenha sido associado ao cristianismo desde o começo. Muitos dos Padres da Igreja eram francófonos e desenvolveram um sistema para se opor à astronomia grega que se tornava popular. Ainda em 548 dC, o monge egípcio Cosmas Indicopleustes defendia vigorosamente a Terra plana em seu livro Topografia Cristã. ”“ O moderno movimento da Terra plana foi lançado na Inglaterra em 1849, com a publicação de um panfleto de 16 páginas, Astronomia Zetética. : Uma descrição de várias experiências que provam que a superfície do mar é um plano perfeito e que a Terra não é um globo! por “Parallax.” Nos próximos 35 anos, “Parallax” – seu nome verdadeiro era Samuel Birley Rowbotham– visitou a Inglaterra, atacando o sistema esférico em palestras públicas. Seu sistema completamente original, ainda conhecido por seus adeptos como “Astronomia Zetética”, é melhor descrito na segunda edição de 430 páginas de Rowbotham da Earth Not a Globe.publicado em 1873. A essência da Astronomia Zetética é a seguinte: O mundo conhecido é um vasto plano circular, com o pólo norte no centro e uma parede de gelo de 150 pés no “limite sul”. O equador é um círculo aproximadamente meio caminho entre. O sol, a lua e os planetas circulam acima da terra na região do equador a uma altitude de talvez 600 milhas. Seu aparente aumento e definição é uma ilusão de ótica causada pela refração atmosférica e pela lei de perspectiva zetética. A última lei também explica por que os navios aparentemente desaparecem no horizonte quando navegam para o mar. A lua é auto-luminosa, e é ocasionalmente eclipsada por um corpo escuro invisível passando em frente a ela.Todo o universo conhecido é literalmente coberto pelo “firmamento” (abóbada) tão frequentemente referido na Bíblia do Rei James. Rowbotham e seus seguidores fizeram da “Astronomia Zetética” uma palavra familiar na Inglaterra vitoriana, e o movimento se espalhou para os Estados Unidos e para o resto do mundo de língua inglesa. Poucos acadêmicos profissionais a adotaram, embora houvesse exceções. Alexander McInnes, da Universidade de Glasgow, era um partidário plano. Assim foi Arthur V. White, da Universidade de Toronto. ”  21 ]
1886 dC John Hampden chama a teoria esférica de “ aquele dispositivo satânico de um globo redondo e giratório , que desafia as Escrituras, a razão e os fatos”. 19 ]
1887 CE Brockport, Nova York, em março de 1887, dois senhores cientistas defenderam a esfericidade da terra contra a flanqueada MC Flanders em três noites consecutivas. Quando o grande debate terminou, cinco moradores da cidade escolhidos para julgar o assunto emitiram um veredicto unânime. Seu relatório, publicado no democrata Brockport, declarou clara e enfaticamente sua opinião de que o balanço das evidências apontava para uma Terra plana . 19 ]
1901 CE David Wardlaw Scott – Flat-Earther escreveu “Acredito que a verdadeira fonte da Astronomia Moderna tenha sido SATAN”. “Desde a sua primeira tentação de Eva no Jardim do Éden até agora, seu grande objetivo tem sido lançar descrédito na Verdade de Deus…” 20 ]
1920
e
1930 CE
As ofertas em dinheiro são outra maneira pela qual os cientistas da Bíblia provocam os oponentes.Nas décadas de 1920 e 1930, o reverendo Wilbur Glenn Voliva, de Zion, Illinois, ofereceu US $ 5.000 para quem pudesse provar que a Terra não é plana. Ninguém nunca colecionou. 21 ] 
1980 Robert J. Schadewald – então presidente da ” International Flat Earth Research Society “, Schadewald fala sobre suas visões de terra planas. Artigo publicado no Science Digest , julho de 1980, “The Flat-out Truth: Earth Orbits? Desembarques da Lua? Uma fraude! Diz este profeta ” , cita Schadewald:“ Os fatos são simples.  A terra é plana.  
“Você não pode orbitar uma terra plana.  O ônibus espacial é uma piada – e uma piada muito ridícula. … O mundo conhecido e habitado é plano. Apenas como um palpite, eu diria que a cúpula do céu está a cerca de 6.000 quilômetros de distância, e as estrelas são tão distantes quanto San Francisco é de Boston ”. Em um mapa publicado por Johnson, o mundo conhecido é tão circular quanto
e tão plano quanto um registro de fonógrafo. O Pólo Norte está no centro. Na borda externa fica o gelo do sul, reputado como sendo uma parede de 45 metros de altura; ninguém jamais atravessou e, portanto, o que está além é desconhecido. 114 ]    (Veja também Charles K. Johnsonabaixo)
1992 Jeffrey Burton Russell – historiador medieval e teológico publica ” Inventando a terra plana: Columbus e historiadores modernos “. Fornece argumentos convincentes de que o pensamento terra plano nas eras medievais é um mito. No entanto, também procede a fazer acusações: afirma que os mitos da terra plana foram criados como “ incessantes ataques ao cristianismo ” por “escritores seculares ”; culpa os darwinistas que tentam defender a evolução ; Lança umaconspiração entre um historiador francês Antoine-Jean Letronne e o escritor norte-americano de ficção satírica Washington Irving    (Para mais informações sobre Russell, veja o Capítulo 4 – Mito da Terra Plana Inventado por Escritores Seculares?)
1992 Rudolf Simek – autor alemão escreve “O Céu e a Terra na Idade Média – O Mundo Físico Antes de Colombo ”  93 ] Abrange material muito semelhante ao de Russell, acima, mas é mais técnico e abrangente. Simek está mais preocupado em mostrar a crença incorreta do pensamento da terra plana do que em apontar os defensores, humanistas, escritores seculares, etc. Isto torna seu livro uma referência melhor, especialmente para aqueles como nós mesmos que são ofendidos pelas acusações de Russell. culpa.
Presente… Charles K. Johnson – Presidente da “ International Flat Earth Research Society ” conhecida como a FLAT EARTH SOCIETY. Segundo a sociedade: “A Sociedade Internacional da Terra Plana é a sociedade contínua mais antiga existente no mundo de hoje. Tudo começou com a Criação da Criação. Primeiro a água … o rosto do fundo … sem forma ou limites … apenas água. Então a Terra se senta dentro e sobre a Água, a Água então como sendo agora plana e nivelada, como é a própria Natureza da Água. Há, é claro, montanhas e vales na Terra, mas como a maior parte do mundo é água, dizemos: “ O mundo é plano. (…) Uma coisa que sabemos com certeza sobre este mundo… o mundo habitado conhecido é o plano, o nível e o mundo plano. … O fato de que a Terra é plana não é minha opinião, é um fato comprovado. Também demonstrou que o Sol e a Lua estão a cerca de 3.000 milhas de distância e ambos têm 32 milhas de diâmetro . Os planetas são “minúsculos”. O Sol e a Lua se Movem, a Terra NÃO se move, gire, gire ou gire ”.


O que pensar de Johnson e da Sociedade da Terra Plana? Não temos certeza! Os historiadores de 1500 anos no futuro apontarão para Johnson como prova de que acreditamos em uma Terra plana? A sociedade é apenas um exemplo de saúde mental precária? Devemos ver Cosmas e Lactantius da mesma forma que vemos Johnson? Você decide.

Devemos discutir mais algum pensador da terra plana atual? Eles são todos “charlatões” né ?!

Fonte: http://www.ethicalatheist.com/docs/flat_earth_myth_ch5.html

Não pode haver dúvida de que, no início da história humana, muitas pessoas viam a Terra como plana. Em diferentes momentos, foram necessárias várias formas geométricas planas, incluindo um disco circular, um retângulo, um paralelogramo, etc. Portanto, a questão em questão não é se ela foi vista como plana, mas quandoas pessoas deixaram de ter essa visão. O menor reaparecimento do pensamento da Terra plana principalmente nos tempos pré-medievais foi impulsionado por uma interpretação literal e fundamental das Escrituras pelos cristãos. Estas interpretações rigorosas ocorreram por excessivo apego ao que os primitivos Pais da Igreja dissseram em oposução a uma terra esférica. Em outras áreas, como crenças centradas na terra (terra como centro do universo), movimento planetário e conceitos do universo em geral; o registro histórico pode ser visto como muito mais crítico da Igreja.

Nossas conclusões desta pesquisa são resumidas da seguinte forma:

  • Uma forte visão plana da Terra foi realizada nos tempos sumério e babilônico.
  • Os antigos filósofos e astrólogos gregos e romanos fizeram grandes avanços na astronomia e nas visões esféricas.
  • Algum pensamento plano da terra estava presente nos tempos pré-medievais e no início da Idade Média. A principal oposição a visões esféricas foi devida a argumentos teológicos e interpretações escriturais dos primeiros Padres da Igreja. Eles foram encurralados em suas posições por suas próprias crenças e possivelmente por medo de represálias. Felizmente, essa visão não prevaleceu!
  • Os astrônomos medievais, após algum atraso (!), Continuaram o trabalho dos antigos e fizeram grandes avanços em geografia e cartografia que culminaram na descoberta do Novo Mundo. A evidência mais recente do pensamento verificável e demonstrável da Terra plana nos tempos medievais que encontramos foi de aproximadamente 550 dC
  • A partir de 1800 até os dias atuais, encontramos historiadores contemporâneos escrevendo relatos falhos sobre o pensamento da terra plana durante os tempos medievais. O erro de alguns desses autores é devido a interpretações erradas de citações históricas. Fornecemos essas citações controversas nestas Tabela de 7000 anos de raciocínio sobre a forma da Terra,  para que os leitores tenham um recurso facilmente acessível de citações para tirar suas próprias conclusões.
  • Nós não concordamos com as alegações feitas por alguns autores de que o “mito” da Terra plana foi criado, e continua a ser promovido, por “escritores seculares” em seus “incessantes ataques ao cristianismo”. Nós também não concordamos com a alegação de que o pensamento da terra plana foi inventado pelos ‘evolucionistas e darwinistas’ como ‘munição contra os criacionistas’. Tampouco estamos convencidos de conspirações colaborativas malignas do americano Washington Irving e do francês Antoine-Jean Letronne.

Fonte: http://www.ethicalatheist.com/docs/flat_earth_myth_ch7.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *